Jaboticaba: Polícia conclui que desavença política foi o motivo do crime

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

A Polícia Civil de Jaboticaba finalizou nesta sexta-feira (28/05) o inquérito policial que apurou as circunstâncias do duplo homicídio ocorrido em Jaboticaba no dia 16 de maio, que vitimou o Comissário de Polícia Fabiano Ribeiro de Menezes e José Antonio Rocha Monteiro.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Gustavo Fleury, não foi possível interrogar Marcos de Moraes Antunes, autor dos disparos, por ter se reservado a permanecer em silêncio, enquanto Rudinei Teles da Silva, segue foragido. Entretanto, a polícia afirma que por meio das câmeras de videomonitoramento do local e demais diligências de Polícia Judiciária foi possível verificar a conduta de cada indiciado, reconstituindo todos os eventos ocorridos na data do crime.

A conclusão é de que Rudinei Teles da Silva e a vítima José Antonio Rocha Monteiro já possuíam desavenças em razão das últimas eleições municipais ocorridas em Boa Vista das Missões, onde apoiaram candidatos opostos. “Essa desavença pré-existente, somada a uma nova discussão política ocorrida durante a tarde na parte externa do bar, entre Rudinei e José Antonio, ensejou a busca por uma arma de fogo visando à prática do homicídio”, disse à imprensa.

Ainda conforme a Polícia Civil, Marcos é atirador desportivo, possuindo registro de CAC (caçador, atirador e colecionador) junto ao Exército Brasileiro e amigo de Rudinei. “Por essa razão foi o executor da ação, em razão da sua expertise no manuseio de armas de fogo”, afirmou Fleury.

As investigações constataram que a arma usada no crime pertenceria a Rudinei e foi por ele alcançada, para que Marcos realizasse a ação contra José Antonio. A análise das câmeras do local, aliadas aos depoimentos coletados apontou que Marcos e Rudinei chegaram juntos no bar e ambos sabiam que o comissário de polícia estava no estabelecimento naquele momento. A investigação apontou que Rudinei se posta próximo ao policial e observa a prática do primeiro homicídio e em seguida atua decisivamente no homicídio do Comissário de Polícia dificultando a ação do agente policial, contribuindo de forma relevante para a sua morte.

Rudnei e Marcos foram indiciados pela prática de dois crimes de homicídio triplamente qualificado, além do indiciamento pelo porte ilegal de arma de fogo equiparada à de uso restrito. O autor dos disparos está preso preventivamente enquanto Rudinei segue foragido, por isso, a Polícia Civil já converteu o pedido de prisão temporária em prisão preventiva.

Por: Polícia Civil com informações Folha do Noroeste 

Publi Sabor Gaúcho
Side3

Acompanhe no Facebook

Posts Relacionadoas